Uma grande iniciativa se iniciou aqui na Inglaterra e chamou a atenção de alguns brasileiros que gostariam de adotar essa idéia também no Brasil.

O site do HDS – Hidden Disabilities, ou Deficiências Ocultas. “Nem todas as pessoas com necessidades especiais ocultas precisam de assistência. Mas se você precisar, use o cordão de girassóis’: este indica discretamente que você precisa de apoio adicional ou apenas um pouco mais de tempo.

Na Inglaterra, viajantes com necessidades especiais podem solicitar um colar que é usado pelos pais ou pela criança. Isso é para conscientizar as pessoas de que essa criança tem uma necessidade especial não aparente. Assim, deve-se respeitar o usuário do cordão e dar mais espaço à criança, já que podem ocorrer alterações repentinas de comportamento.

O uso do cordão é uma escolha dos pais e mostra que entendemos e respeitamos as pessoas com necessidades especiais ocultas como a demência, autismo, dificuldade de aprendizagem, dislexia, deficiências visuais e auditivas. Infelizmente é muito raro encontrar iniciativas como essas ao redor do mundo.

Gostaria de iniciar um movimento para conscientizar a sociedade de que isso é uma coisa muito boa, simples e que deveria ser adotada no Brasil e no mundo.

Entendo que alguns pais podem não querer que seus filhos sejam percebidos como diferentes ou especiais e que essa escolha é completamente deles. O ponto é: não podemos ignorar as pessoas com deficiência, mas sim entendê-las. Não podemos esquecer de parabenizar as mães que fazem de tudo para que a vida de seus filhos especiais seja mais simples e leve.

img-20191024-wa0026.jpg

Os cordões de girassol nos aeroportos da Inglaterra (Heathrow, Gatwick, etc), permitem que os funcionários reconheçam que você tem uma deficiência oculta sem precisar declará-la. Isso permite que você viaje de forma independente pelo aeroporto, sabendo que, se precisar de suporte adicional durante sua jornada. Se você sentir algum desconforto durante a viagem ou preferir assistência extra, pode ir a algumas das mesas de assistência, onde um dos funcionários poderão auxiliar.

No site você encontra informações como: Se você estiver viajando e passar pelo Heathrow nos próximos seis meses, teremos o maior prazer em lhe enviar um cordão onde quer que você esteja no mundo. Para permitir tempo para processar sua solicitação e postar seu cordão, aguarde 4 dias úteis se você estiver no Reino Unido e 7 dias úteis se estiver fora do Reino Unido.

Envie um email para special_assistance@heathrow.com, e certifique-se de incluir todas as seguintes informações: Nome completo (incluindo sobrenomes) Terminal de partida / conexão ou chegada Número (s) de voo(s), Endereço postal onde o cordão será entregue. O aeroporto de Heathrow tem o prazer de fornecer gratuitamente um cordão de girassol pelo correio antes de você chegar ao aeroporto.

Podemos postar um cordão em qualquer lugar em que você esteja no Reino Unido ou no exterior – lembre-se de que exigimos um período mínimo de quatro ou sete dias úteis para que o cordão chegue à sua casa, dependendo se você estiver no Reino Unido ou no exterior.

Estamos felizes em fornecer-lhe um cordão se você viajar. Estamos cientes de que outros aeroportos / instalações dentro e fora do Reino Unido fazem parte do esquema. Se a sua viagem não incluir Heathrow na sua partida, chegada ou conexão, você precisará entrar em contato com a equipe de atendimento ao cliente do aeroporto relevante para o qual você estará viajando.

O objetivo desse artigo é a conscientização não só na Europa mas no Brasil, a sinalização de pessoas que possuem necessidades não aparentes. Um suporte que pode ser desde oferecer o lugar na fila ou entender o tempo mais demorado no atendimento, o uso de uma linguagem mais clara ou apenas um espaço no caso de uma pessoa com sobrecarga sensorial. O objetivo também se estende em trabalhar a conscientização nos estabelecimentos para que os funcionários possam auxiliar.

Saiba mais no site sobre deficiências ocultas: https://www.hiddendisabilitiesstore.com/.

Este texto é da Dominique, Mãe Brasileira pelo Mundo:

Dominique Alves é paulista, casada, mãe de três filhos (uma menina e um casal de gêmeos).
Foi Comissária de bordo no Brasil, acumulando as funções de instrutora e gestora, tendo a oportunidade de conhecer diversas culturas ao visitar vários lugares pelo mundo.
Graduada em Psicologia na PUC-RS, trabalhou com psicologia comunitária, clínica e escolar, tendo realizado um curso de acompanhamento terapêutico no Instituto de Psiquiatria da USP.
Pós-graduada em Gestão de Pessoas e especialista em Psicoterapia cognitivo-comportamental, morando na Inglaterra desde 2018. É ainda membro da British Psichological Society e faz terapia online, atendendo pacientes do mundo inteiro.

Anúncios