Confissões de uma mãe educadora

Publicado por

Se você acompanha nosso blog, provavelmente sabe que meus filhos não frequentam escola e que eu e meu marido ensinamos eles em  casa. Você pode ler o porque dessa decisão nesse texto aqui, e como conheci o Homeschooling nesse outro texto aqui.

Sempre quando falo da opção educacional da minha família para outras pessoas, elas me perguntam várias coisas do tipo: até quando eles vão ficar em casa? Como será na faculdade? Será que não estou criando eles numa bolha ou super protegendo? A tal famosa socialização e por ai vai…. Após as respostas sempre vem um comentário do tipo: “eu não conseguiria” ou “você é muito corajosa” ou até mesmo um “você é louca” vindo dos mais próximos.

Vamos esclarecer algumas coisas aqui, ok? Eu amo ensinar meus filhos, me divirto muito e nos proporciona uma relação incrível. Eu tenho muito orgulho de ser uma família homeschooler, de viajar a qualquer dia e a qualquer hora, de ir aos parques durante a semana, de ter uma certa liberdade em me mudar de casa, bairro e até país na hora que as oportunidades surgem sem depender de agenda escolar para isso. Amo muito mesmo…

Mas, nem tudo são flores! Tem dias que não quero fazer nada, tem dias que eu estou nervosa e a nossa aula é chata, cansativa e estressante. Tem dias que pular no sofá e subir ou descer as escadas contam como aula de educação física! Tem vezes que eu me pergunto se estou fazendo a coisa certa, e se um dia lá no futuro meus filhos irão me agradecer ou me culpar? Tem meses que considero manda-los de volta para a escola, seja porque todo mundo vai ou até mesmo para que eu possa ter um pouco mais de tempo livre para fazer outras coisas. Tudo isso passa pela minha cabeça!

A verdade é que não é fácil romper com o sistema, remar contra a maré, e em dias que não estou tão confiante, essas dúvidas vem com força total!  Essa jornada tem sido um grande aprendizado e nesses  4 anos em meio a muitas crises e duvidas, eu aprendi algumas coisas que quero compartilhar aqui.

1- Homeschooling é um estilo de vida

Não adianta pensar que homeschooling é uma pedagogia ou um método de ensino. Não é! Homeschooling é um estilo de vida alternativo, onde toda a família deve estar comprometida. Não adianta a mãe querer fazer homeschooling se não há concordância com o pai, pois acredite: nos momentos de dúvidas e incertezas e até mesmo de cansaço, ter o apoio e a compreensão de todos os integrantes da família é essencial.

17903471_1374608495919438_2575317960671117403_n

 

2 – Des-escolarizar é preciso! 

Talvez esse foi ou ainda é o ponto mais difícil para mim. Pois além de ter sido escolarizada durante toda minha vida, sou professora por formação e profissão, ou seja: Amo folhas e mais folhas de atividade. Na minha cabeça escolarizada “quanto mais folhas, melhor, mais meu filho estaria aprendendo!” ERRADO! Cada criança aprende de um jeito e descobrir o que funciona para o meu filho foi bem frustrante no inicio até eu  perceber que ele não aprendia com quantidade de atividades e sim com a qualidade delas. Aprender a respeitar o tempo e interesse do meu filho também foi cansativo, pois não é porque ele tem 8 anos que tem que necessariamente aprender tudo que está no curriculum do 2 ano agora. Ele vai aprender quando estiver pronto.

11079146_890675804312712_3757288950851131876_o

 

3- Rede de Apoio

Ter uma rede de apoio é imprescindível para tudo na vida. Saber que tem pessoas mais experientes que já passaram pelo que você passa, que sabem exatamente como você se sente  e portanto estão aptos a ouvir, aconselhar e compreender.

Quando minha bebê nasceu o rítmo do homeschooling mudou completamente, desde o último mês da gravidez estávamos bem mais lentos, na minha cabeça havia imaginado que assim que a Rebeca nascesse voltaríamos a todo vapor, o que obviamente não aconteceu pois eu tinha uma recém nascida em casa! Quando ela completou 2 meses eu estava exausta e aterrorizada pela ideia que Vini não estava aprendendo absolutamente nada pois mal fazíamos 1 folha de atividade por dia.

Foi quando num encontro semanal com a cooperativa de família homeschoolers que frequentávamos em Londres, eu abri meu coração para as outras mães e expus todas as minhas frustrações e dúvidas. Foi a melhor coisa que eu fiz! Elas me fizeram enxergar que naquele momento o Vinicius estava aprendendo outras habilidades, elas me fizeram lembrar da experiencia incrível que foi ter ele assistindo o nascimento da irmã na sala da nossa casa, de como ele se interessou por tudo que acontecia no trabalho de parto, de como ele estava aprendendo a dividir os pais com a nova bebe, como ele aprendeu a identificar os choros da irmã, ele por muitas vezes dava a mamadeira a ela, e me auxiliava na troca de fraldas… Quanta coisa ele aprendeu naqueles últimos meses e eu não tinha me dado conta! Graças aquelas mulheres que tinham 3,4 e uma tinha 6 filhos pude perceber que é normal as vezes desacelerar do papel, mas não significa que ele não está aprendendo! Serei eternamente grata aquelas mulheres que trouxeram paz ao meu coração pelo simples fato de compartilharem as experiências delas!

 

4 – Nada de comparações

Vira e mexe eu tenho a sensação que Vinicius está atrasado em relação as crianças da idade dele que frequentam escola. Tem dias que eu vejo o filho de alguém fazendo uma equação matemática e penso “Caramba o Vini ainda não sabe isso” há um tempo atras eu estava tão focada em comparar mentalmente ele com outras crianças que me bateu um desespero: “O que eu estou fazendo com meu filho?” e comecei a querer encher ele de atividades e mais atividades, ele precisava aprender tudo que as crianças na escola estão aprendendo… Estava a ponto de enlouquecer e enlouquecer meu filho, coitado! Foi quando conversei com uma outra mãe homeschooler e ela me fez enxergar que comparações só fazem mal para nos e nossos filhos! Ela me  ensinou a fixar os olhos no meu filho, no potencial dele, em suas habilidades e que na verdade tudo é uma questão de ótica, de ponto de vista. Quando você tenta ver as coisas por um outro ângulo consegue enxergar maravilhas que antes estavam escondidas.

Ok, meu filho tem 8 anos e não sabe o que é um tritongo ou hiato (não tenho certeza se eu sei), mas ele fala 2 idiomas fluente, sabe ler e escrever em Inglês e está aprendendo sozinho a ler em Portugues, pois todas as nossas aulas são em Inglês! Ele não sabe o que é um eneágono ou decágono, mas sabe o que é o aquecimento global e como podemos fazer nossa parte para preservar o meio ambiente. Ele não sabe todos os termos da oração, mas sabe identificar e se aproximar quando vê uma criança sozinha isolada… Ou seja, tudo e uma questão de ponto de vista. A única certeza que precisamos ter é que cada criança é única e comparações só atrapalham!

Tenho a consciência de que homeschooling é acessível para todos, mas nem todos tem estrutura para aderir a esse estilo de vida, aqui em casa fazemos muita ginástica entre meu horário e o do meu marido para podermos fazer o homeschooling com nossos filhos. Não é fácil, mas também não é tão difícil quanto parece. Não trocaria essa nossa rotina por nada, acompanhar de perto cada descoberta, cada avanço, cada progresso de nossos filhos não tem preço!

img_0649-1

 

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.