Bolo e guaraná, muitos doces pra você… Mas só se você está no Brasil. Do contrário as celebrações de aniversário não mais serão as mesmas. Eu mesma nunca imaginei ser possível uma festa sem brigadeiros e bexigas, mas quando você é expatriada vive experiências inimagináveis, e a celebração do aniversário é uma delas.

No Brasil as festas infantis são verdadeiros eventos a começar pela escolha do horário  e tema perfeito, passando pela lista de convidados, meses de antecipação, buffet com melhor oferta preço/serviço, a lista para a realização de uma “bela” festa é interminável.

Falo com conhecimento de causa. A festa de um ano da minha cria foi no Brasil, onde morávamos na época (2012) e foi um evento.

O primeiro ítem a sofrer uma mutação quando fomos organizar nossa primeira festa aqui na França foi a lista de convidados. Nossa família não veio na mala, fazia apenas 3 meses que estavámos na cidade e o aniversário caiu (e cai sempre desde então) nas férias escolares. Traduzindo, não tínhamos quem convidar.

E a partir daí foi só desespero. Não tinha onde encomendar coxinha, brigadeiro, bolo de 3 andares nem o telefone de um decorador de festas para recorrer. Não tinha um buffet.

Nada, não tinha nadica. Nada do que estamos acostumados a recorrer no nosso país.

E quer saber? Foi muito legal aprender a celebrar de outra forma.

20170917_185641 (1)

Simplicidade é o segredo por aqui, celebrar o aniversário de uma criança significa exatamente isso, deixar as crianças juntas, por um determinado período de tempo.

As famílias procuram a maior praticidade possível na hora de festejar com criança. por aqui existem basicamente dois tipos de eventos: em casa ou em um estabelecimento que faz a sua festa, mas não se iluda, não é nem de perto algo parecido com o que conhecemos no Brasil.

A festa feita na casa do aniversariante, normalmente, celebrada até aos 8 ou 9 anos têm no máximo 3 ou 4 amigos, nunca dura mais de 4 horas (o horário da festa já está previamente marcado no convite) não tem toda a família (tios, avós, gato, cachorro, papagaio), não tem mil e um quitutes, nem palmas na hora de cantar parabéns. Tem bolo, doces (bombons, chocolates, etc) tem sandwiches e suco. Tem uma ou duas brincadeiras organizadas pelos pais do aniversariante, e todo mundo vai pra casa feliz da vida.

Se a crianca tem mais de 9 anos, a festa passa a ser em um estabelecimento (pois os pré-adolescentes podem sair quebrando a casa toda, e não é nem de longe a festa dos sonhos dos pais franceses) como por exemplo: mc donalds, restaurantes kids, loja de brinquedo, gruta de pretas preciosas, etc. Nesse caso, a festa pode durar até 3 horas, novamente, não tem brigadeiro (neurótica?!), nem bolo confeitado e nem os pais, “nem do aniversariante”.

Você contrata o serviço, o estabelecimento já determina o número mínimo de convidados (entre 6 e 8 crianças), eles oferecem lanche, bolo, suco e sobremesa pra galerinha. Os pais do aniversariante pagam pra todos os convidados, o preço vária e estabelecimento mas gira entre 12 e 18 euros por cabeça e os pais de geral deixam e voltam pra buscar  suas crias no horário marcado.

20170917_185625

Não existem músicas de aniversário, ninguém canta balão mágico e o presente, na grande maioria das vezes, é um envelope com dinheiro. Mas mesmo com todas essas diferenças as crianças, que são as maiores interessadas, sempre partem com “mil felicidades e amor no coração”.

Aqui em casa nós seguimos tradicionais na medida do possível. Tem brigadeiro, coxinha, bolo de chocolate, amigos, parabéns, velas e se bobear anda cantamos “com quem será?”

E você? O que acha da ideia de uma celebração mais simples e consequentemente mais econômica para sua família? Aproveite e leia os outros texto sobre o assunto aqui e nao se esqueça de cadastrar seu email para ter sempre as novidades do nosso blog!