Ajudando seu filho a vencer o medo de forma saudável

filippo-ruffini-427590-unsplash.jpg

Você tem medo do quê? Eu confesso que tenho um leve medo de altura, não chega a ser algo que me paralise, mas me deixa ansiosa e desconfortável. Ah! Medo mesmo, eu tenho de barata! Principalmente aquelas enormes voadoras, essa sim me paralisa! Me arrepio só de lembrar.

A verdade é que todos nós independente da idade temos algo que nos causa pânico ou no mínimo nos deixa inseguro, desconfortável mesmo. Com as crianças não é diferente, mas infelizmente tem muitos pais por aí que ao invés de ajudarem os filhos a superar o medo, acabam por piorar ainda mais a situação.

Hoje eu quero compartilhar algumas dicas do que fizemos aqui em casa e achei interessante para ajudar seu filho a enfrentar o medo.

1 – Nunca zombe, desmereça ou ignore o medo do seu filho.

Sabe aquele tipo de comentário: “Deixa de bobeira” “Para de palhaçada” “parece um bebezinho” isso definitivamente NÃO ajuda em nada.

Seu filho precisa de empatia, mostrar que entende ele, é um grande começo.

Quando o medo e tão grande que nos paralisa, nos deixa com um grande sentimento de impotência e fracasso, tudo que seu filho não precisa é que você contribua com a baixa estima dele. Nada de comentários pejorativos!

2- Diga sempre a verdade.

Uma vez Vini me disse que tinha muito medo de ladrões, ele estava sempre checando se a porta estava trancada, se as janelas estavam bem fechadas, e na rua sempre segurava minha mão bem forte. Estava ficando uma situação insustentável. No meio disso, nos mudamos para Portugal, e por ser um ambiente novo, só piorou.

Foi quando eu tive a “brilhante ideia” de dizer a ele que em Portugal não tinha bandidos. Ele ficou aliviado e relaxado por algumas semanas e o medo parecia ter ido embora. Foi quando ele viu um dia no jornal mostrando que a polícia havia prendido alguém.

Naquela hora ele veio todo animado me dizer que eu havia me enganado, Portugal tinha um único bandido mas a polícia acabara de prender, não haviam mais bandidos em portugal.

Eu fui tomada por um sentimento de culpa tão grande e disse a ele que todos os lugares do mundo tem bandidos, pessoas más e ladrões.

Dai ele me perguntou horrorizado: “Então você mentiu para mim?” E eu super envergonhada confessei minha falha.

Mentir não vai ajudar em nada – eu aprendi minha lição.

Sei que é mais fácil prometer que nunca vamos morrer, ou que vamos morrer bem velhinhos, mas na verdade não temos como garantir isso, e é importante que nossos filhos tenham a noção que existem coisas que fogem ao nosso controle.

No meu caso com o Vinicius tivemos que ter longas conversas sobre livre arbítrio e escolhas. Por fim, ele entendeu que existem pessoas que escolhem fazer o mal, cabe a nós sermos prudentes e vigilantes, sem ser paranóicos. Estudamos sobre o trabalho da polícia, juizes e carcereiros. Eles estão aí para nos proteger dos bandidos.

3- Pesquise, estude, informe-se

Informação é muito importante, porque muitas vezes nosso medo e infundado, temos medo do desconhecido, mas quando passamos a conhecer de perto vemos que não é tão assustador assim. Eu morria de medo de parto normal, tive uma cesárea eletiva só pelo medo do trabalho de parto, mas quando engravidei da segunda vez, resolvi me informar, estudar e me familiarizar com o parto normal, não apenas perdi o medo como me inspirei para ter minha filha em casa sem nenhum tipo de intervenção médica! Você pode ler como foi essa história aqui.

Numa certa altura, Vini desenvolveu um pânico enorme de cachorros, ficava paralisado e não conseguia se mexer de verdade, e sentia muita vergonha por isso. Eu e meu marido começamos a ler com ele tudo sobre cachorros, o que faziam, como se comportavam, as diferentes raças, e também fez uma visita ao abrigo de cães abandonados do nosso bairro. De tanto ele conhecer os cachorros, hoje ele não tem mais medo, tem reservas quando não conhece (o que é super saudável) mas já consegue fazer carinho e até brincar com cachorros.

4 – Ofereça seu apoio

Mostre a seu filho que você também teve medos quando criança, converse sobre como você se sentia e como conseguiu vencer o medo. Ofereça sua presença também.

Se a criança tem medo de escuro, por exemplo, proponha brincarem juntos de encontrar alguma coisa no escuro, faça de uma forma divertida durante o dia, e se o medo for durante a noite ofereça dormir alguns dias com ele no escuro para que se acostume.

Dormir com a luz acesa, nesse caso, so desvia a atenção do medo, mas não ajuda a enfrenta-lo. Mostre-se sempre a disposição do seu filho para ajuda-lo a enfrentar seus medos de forma saudável, use sempre palavras de incentivo e elogie o esforço e a tentativa.

Espero que essas dicas sejam de alguma valia para ajudar seu filho a vencer o medo e ser uma criança ainda mais feliz!

Um grande abraço!

Anúncios

Autor: Marcielly Azevedo

Mae do Vinicius e da Rebeca, esposa do Eder. Homeschooler, apaixonada por Educação Livre e Criação com Apego Ja morou no Brasil, Londres, atualmente em Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s